Enimbos.com
Close

The Business Year – Tecnologia das nuvens, um sector totalmente disruptivo.

The Business year (TBY) conversa com Javier de la Cuerda, CEO da Enimbos, sobre a tecnologia de computação em nuvem e o processo de migração para a nuvem, a capacidade disruptiva do sector e os planos de expansão da empresa para os próximos anos.

Como surgiu a ideia para a empresa há cerca de quatro anos?

Iniciámos este projecto com uma profunda compreensão de como funcionava o negócio tradicional das TI em Espanha. Pessoalmente, estive envolvido na primeira empresa espanhola a ser listada na NASDAQ em 2003. Desde então, temos vindo a desenvolver e a criar infra-estruturas TI em Espanha através do modelo tradicional, o que significa externalizar as infra-estruturas e plataformas TI de grandes clientes e empresas, embora isto esteja a mudar drasticamente. Agora, o âmbito dos serviços e o que os clientes exigem são completamente diferentes. Durante a crise financeira, as empresas espanholas congelaram completamente os seus investimentos em TI e, por conseguinte, a partir de 2011, têm as mesmas plataformas. Após a crise, houve uma grande oportunidade para mudar os sistemas, plataformas e aplicações. Agora, a ideia é que não é necessário fazer um grande investimento no CAPEX para construir uma plataforma, uma vez que a tecnologia das nuvens permite ter os melhores e mais inovadores serviços pagando apenas pelo que é utilizado. Em 2016 decidimos deixar de ser um jogador tradicional, para construir uma nova forma de fazer as coisas, decidindo iniciar uma aventura nas nuvens.

Como é que a Enimbos se tornou a empresa líder na migração para a nuvem em tão pouco tempo?

Em primeiro lugar, tratava-se de incorporar as pessoas certas na equipa, e assim que o conseguimos, demos-lhes a melhor formação e as melhores ferramentas para se desenvolverem e terem a oportunidade de mudar e inovar com total liberdade. Em segundo lugar, utilizamos a melhor tecnologia e fornecemos a melhor formação para a equipa. A nossa abordagem depende de proporcionar aos clientes total flexibilidade para se adaptarem às suas necessidades reais. Isto é algo que os jogadores tradicionais não estão em posição de fazer.

Que sectores são mais importantes na repartição da sua base de clientes?

Servimos todos os sectores, embora alguns sectores sejam mais interessantes do que outros devido à cultura e às circunstâncias. Por exemplo, o sector bancário e financeiro é hoje bastante tradicional e é difícil encontrar um nicho para começar a desenvolver serviços de nuvem na banca; no entanto, estamos agora a começar a ver que os novos serviços de nuvem podem fornecer muitas soluções. A tecnologia das nuvens oferece a oportunidade de gerir uma grande quantidade de informação que de outra forma seria difícil de manusear. Temos visto os mercados tradicionais migrarem as suas infra-estruturas para a nuvem muito rapidamente, enquanto outros estão a começar a fazê-lo. Pelo contrário, novas empresas parecem ter trabalhado com serviços na nuvem durante toda a vida, por isso é bastante fácil desenvolver novas funcionalidades que trazem novas formas de fazer as coisas para o seu negócio.

Como assegurar que o negócio de uma empresa migre com sucesso de forma segura e eficiente?

Quando migra a sua infra-estrutura para a nuvem, tudo é mais seguro do que o que tem em instalações físicas ou num centro de dados tradicional, embora convencer as pessoas disso tenha provado ser um desafio. Tudo é totalmente rastreado na nuvem e não depende das pessoas que gerem a plataforma. Em segundo lugar, grandes somas de dinheiro foram investidas na protecção dessa infra-estrutura e plataforma, muito mais do que qualquer cliente poderia alguma vez gastar. Podemos proteger e assegurar isso para os nossos clientes porque seguimos todas as melhores práticas relacionadas com as ISOs. Desde o início, decidimos aprovar a ISO 20000 para a gestão de serviços e a ISO 22301 relativa à continuidade das actividades e finalmente a ISO 27001.

A Enimbos foi nomeada um dos 10 melhores disruptores TIC em 2019. O que significa para a empresa ser reconhecida com estes prémios?

É significativo porque investimos grandes somas de dinheiro neste projecto, e desde o início decidimos que queríamos ser um conhecido especialista em cloud knowledge, fornecendo serviços geridos em cloud computing. Existe um segundo horizonte relacionado com a inovação, no qual temos vindo a investir na nossa própria plataforma SaaS com a qual daremos o próximo passo e cresceremos fora de Espanha. Há muitos jogadores neste tipo de plataforma nos EUA e alguns no Reino Unido, embora não haja outros na Europa. Quando olhamos para os jogadores à nossa volta, somos os únicos que temos uma plataforma competitiva com a qual podemos automatizar e salvar, a fim de utilizar instâncias específicas no ambiente multi-nuvem. Por conseguinte, é extremamente importante ser reconhecido como uma das empresas líderes a este respeito.

Quais são, na sua opinião, as principais tendências na indústria das TIC?

Há algumas áreas do sector que não estão a crescer, tais como a revenda de hardware e software. Além disso, o serviço profissional de terceirização de pessoas a clientes já não está a crescer, uma vez que está mais relacionado com a forma tradicional de fazer as coisas. O crescimento está a ocorrer na evolução para a tecnologia das nuvens e irá crescer a mais de 20% por ano. Os fornecedores de nuvens estão a duplicar os seus números ano após ano, por isso é uma oportunidade de mercado diferente. Em Espanha, a primeira tendência no mercado das TIC está relacionada com o processo de migração para a nuvem, que está na agenda de cada CEO de uma grande empresa. A segunda é proteger o ambiente para que a nuvem possa ser facilmente gerida, e a terceira é a análise de dados, utilizando dados dos sistemas e de diferentes plataformas e sendo capaz de tomar decisões estratégicas facilmente.

Quais são os objectivos da Enimbos?

Tudo está relacionado com o crescimento. Em média, somos premiados com 78% dos projectos, o que significa que temos um elevado nível de sucesso no mercado que queremos manter. Queremos ser bem sucedidos, indo na direcção certa que o mercado dita. Estamos a investir na contratação de pessoas para nos ajudar na tarefa de desenvolvimento empresarial. O segundo objectivo é ter a plataforma de serviço totalmente pronta e vendida no mercado. Isto é algo que estamos a utilizar hoje, embora faltem alguns dos desenvolvimentos de que precisamos para ter uma revenda totalmente automatizada da plataforma. O terceiro objectivo é mais interno, já que estamos dispostos a continuar a criar uma cultura diferente no mercado para ter pessoas totalmente envolvidas na empresa. Uma área de interesse é a de colaborar em projectos de responsabilidade social. Isto é importante para nós, tal como é importante para a nossa equipa.

Se quiser ler a história completa a meio do ‘The Business Year’ clique aquí.

Related Posts